CONHECENDO MINAS GERAIS | Parte 2 | Jéssica Romanoff


Olá pessoal!!! Tudo bem com vocês??! Desculpem-me a demora em postar a parte 02, acabei trocando de emprego e a faculdade foi puxada nesse semestre, mas agora esta tudo voltando ao normal, e estarei mais presente aqui no blog.

Se você ainda não viu a parte 01, acessa esse link (aqui) para ficar por dentro dessa viagem maravilhosa!!

Então vamos lá para conhecer um pouco mais sobre Minas Gerais.

INHOTIM – BRUMADINHO MG

No segundo dia de passeio fomos conhecer Inhotim.  É a sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina, e uma coleção botânica que reúne espécies raras de todos os continentes. Uma instituição sem fins lucrativos, destinada a conservação, exposição e produção de trabalhos contemporâneos de arte que desenvolve ações educativas e sociais.




Foto novembro 2016, Inhotim MG.

Foi um passeio incrível. É um parque enorme com muita arquitetura, arte e paisagismo. Se você gosta desses três requisitos, essa visita é quase que obrigatória! Em um dia não é possível conhecer o lugar todo, mesmo alugando o carrinho de golfe, que depois de algumas horas andando a pé se torna muito útil!

O parque é extremamente maravilhoso, bem conservado, agradável, e a energia vibra naquele lugar.
Poderia ficar aqui horas me lembrando de lá, mas não quero deixar muito extenso, então vamos para o próximo dia!

Para saber mais sobre Inhotim acesse o link: inhotim.org.br
__
IGREJA NOSSA SENHORA DO Ó – SABARÁ  MG

No terceiro dia de passeio fomos conhecer  a Igreja Nossa senhora do Ó em Sabará e Sete Lagoas.
Uma das mais antigas igrejas de Minas, sua estrutura por fora não chama tanta atenção, mas no seu interior há uma belíssima riqueza barroca. Grandiosa em detalhes nas pinturas e na madeira entalhada no altar.

Pode-se observar que a maioria das igrejas da época colonial do Brasil, eram localizada em um terreno mais alto que o nível da rua.



Foto Igreja Nossa senhora do Ó , Sabará MG/ Fonte Google.
__

GRUTA REI DO MATO – SETE LAGOAS MG

Em Sete Lagoas conhecemos a Gruta Rei do Mato, uma das grutas mais importantes do Brasil. Possui 998 metros de extensão e desnível de até 30 metros. Uma gruta com formações rochosas de muitas formas e cores, algumas até parecem esculturas de animais ou objetos.  A imaginação floresce lá dentro.

Existem colunas completas, que se encontram do teto ao chão, formadas ao longo de milhares e milhares de anos. O contato humano pode interromper essa obra de arte, por isso a visitação a cavernas deve ser feita com muita atenção.

É de uma beleza ímpar, e aprender a cuidar desse presente da natureza é dever de todos que a habitam, além do que queremos que permaneçam assim no tempo de existência e evolução.

Para saber mais sobre a gruta acesse o link: setelagoas.com.br




Fotos: Novembro de 2016, tirada por Matheus Hochscheidtslongo.

E por fim, no último dia fomos conhecer a famosa BH e Ouro Preto.
__
CONJUNTO ARQUITETÔNICO DA PAMPULHA – BELO HORIZONTE MG MUSEU DE ARTE DA PAMPULHA (MAP)

Projetado para ser um cassino em 1942, o uso do edifício como Cassino foi interrompido em 1946, quando foram proibidos os jogos de azar no Brasil. Ficou sem uso até 1957, quando foi criado o Museu de Arte de Belo Horizonte, atual Museu de Arte da Pampulha (MAP). Foi o primeiro projeto de Oscar Niemeyer para o Conjunto Arquitetônico da Pampulha. Sua concepção foi influenciada pelos princípios funcionalistas do arquiteto Le Corbusier. Os jardins que circundam o prédio, criados pelo paisagista Roberto Burle Marx, têm como característica principal sua composição de formas sinuosas, com grandes blocos ou manchas de cores, construídas com espécies da nossa flora brasileira.

Pampulha é uma das regiões mais admiradas por oferecer ambiente ideal para passear, praticar esportes, e uma agradável paisagem.



Fotos: Novembro 2016, Belo Horizonte MG.

__
CASA DO BAILE

Chegamos a Casa do Baile, criada na década de 40, parte do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, de Belo Horizonte, situada numa pequena ilha artificial ligada por uma pequena ponte de concreto à orla. Obra modernista do nosso exímio arquiteto Oscar Niemeyer e paisagista Burle Marx. Com a finalidade do edifício do Baile, ser um local destinado à lazer popular e a  valorização artística da Pampulha .“A ideia de Niemeyer era que a partir de qualquer prédio do conjunto fosse possível enxergar todos os outros, dando uma visão completa de sua obra”.

Diferente de tudo o que antes havia na cidade, Niemeyer implantou em uma pequena ilha às margens da Lagoa da Pampulha um volume aparentemente circular. Na época, as empresas e elites só adotavam um estilo depois que ele tivesse sido testado em obras públicas. Pode-se perceber que Niemeyer foi muito requisitado para tais trabalhos. Foi uma manifestação cultural com o intuito de criar um novo olhar sobre a produção artística nacional, com uma arquitetura incomum em cima dos moldes tradicionais até agora estabelecidos no campo da arte.

Para saber mais sobre a casa do baile:

Para saber mais sobre Burle Marx: archlife.blog.br.



Fotos: Novembro 2016, Belo Horizonte MG.

A Igreja São Francisco de Assis da Pampulha, em Belo HorizonteMinas Gerais, foi inaugurada em 1943. O projeto arquitetônico da igreja é de Oscar Niemeyer, o cálculo estrutural do engenheiro Joaquim Cardoso, o paisagista Burle Marx e o pintor Cândido Portinari. A combinação gerou a construção em tons azuis, com linhas e curvas totalmente revestidas por azulejos e pelos painéis que retratam a Via Sacra e a imagem de São Francisco.
Considerada moderna demais para a época e não foi aceita pela população e pelas autoridades eclesiásticas, mantendo-a fechada por 14 anos, quando finalmente passou a funcionar como templo religioso. Foi o último prédio a ser inaugurado do Conjunto Arquitetônico da Pampulha.
A Igreja da Pampulha é também um dos mais conhecidos "cartões postais" de Belo Horizonte. É tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG)e pela Gerência do Patrimônio Municipal.


Fotos: Novembro 2016, Belo Horizonte MG.

Saiba mais em :

Nos  vemos em breve, para conhecer Ouro Preto MG, que foi o último lugar de passeio da  nossa viagem . Será um post com muita história brasileira e  detalhes da arquitetura colonial. 

Espero que tenham gostado!!! Um beijo e até mais!!!


Aproveite para nos acompanhar nas nossas redes sociais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coloque aqui sua dúvida, sugestão, opinião... obrigada por acessar o blog.

DESCOBRINDO AS CORES | GUIA DE CORES | EP 1

Olá pessoal!!! Hoje dou início a nossa primeira série de vídeos lá no canal!, o GUIA DE CORES!! Serão 5 vídeos, toda segunda-feira d...