Roberto Burle Marx



Renomado paisagista brasileiro, nasceu em São Paulo, em 1909 e se formou em Artes Plásticas na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro onde estudou com Cândido Portinari. Foi na universidade que entrou em contato com vários representantes da escola modernista de arquitetura, como LúcioCosta e OscarNiemeyer.

Família com descendência européia, era o quarto filho de Cecília Burle (de origem pernambucana e portuguesa) e de Wilhelm Marx, judeu-alemão nascido em Stuttgart e criado em Trier (cidade natal de Karl Marx, primo de seu avô). A mãe era pianista e também gostava de cuidar  de jardim, foi assim que aprendeu desde pequeno a cuidar do seu canteiro no jardim. Final dos anos 28 ele teve um problema de visão e foi se tratar na Europa, aonde ele conheceu o jardim botânico de Berlim, Botanischer Garten Und Botanisches Museum Berlin-dahlem, o mais antigo jardim botânico alemão, lá ele viu uma estufa de plantas brasileiras, que o deixou muito impressionado, porque jardim para ele era cuidar de um canteiro de rosas. Durante esse período, estudou pintura no ateliê de Degner Klemn e Burle Marx passa a se dividir, entre o amor pela pintura e o amor pelas plantas.

Pode-se dizer que o talento de Burle Marx para a arquitetura se desenvolveu dentro de suas múltiplas atividades como artista, ele também foi um pintor notável, escultor, tapeceiro, ceramista e designer de jóias. Lúcio Costa, (que projetou Brasília) era seu amigo e vizinho, foi ele quem solicitou seu primeiro projeto paisagístico e após conhecer suas habilidades como botânico fizeram muitas parcerias. A partir daí começa sua relação com os arquitetos modernistas em muitos projetos notáveis, como os projetos paisagísticos do Eixo Monumental de Brasília, da área verde do conjunto habitacional do Pedregulho, do Aterro do Flamengo e o terraço-jardim do edifício Gustavo Capanema, conhecido como Ministério da Educação e Cultura.

Aterro do Flamengo RJ.

Desenhos de Copacabana de Burle Marx.

Eixo Monumental de Brasília DF. 

Jardim a Casa do Baile MG.

Jardim em São Paulo SP. 
Jardim Museu de Arte da Pampulha (MAP) MG.

Paginação Copacabana RJ.

Sítio Santo Antônio da Bica de Roberto Burle Marx.

Ele introduz o uso de plantas nativas para composição dos jardins, pois queria realizar um paisagismo mais voltado à rica biodiversidade do Brasil, utilizando as plantas do cerrado, espécies amazônicas e do sertão nordestino. A partir da década de 1950, utiliza em seus trabalhos uma ordenação mais geometrizante, como ocorre na Praça da Independência (João Pessoa, 1952). Na década de 1970, tem marcante atuação como ecologista, defendendo a necessidade da formação de uma consciência crítica em relação à destruição do meio ambiente. O Sítio Santo Antônio da Bica é doado ao governo federal em 1985, passando a chamar-se Sítio Roberto Burle Marx, e constitui um valioso patrimônio paisagístico, arquitetônico e botânico.
Burle Marx se despediu em 1994 deixando de presente mais de dois mil jardins maravilhosos . Hoje em dia pode-se encontrar um jardim ou uma estufa projetados por Burle Marx em até 20 países. O "estilo Burle Marx" tornou-se sinônimo de paisagismo brasileiro no mundo. 



Assista nosso vídeo com um desafio sobre Burle Marx:




Veja mais em:

Beijos e até mais!!


Aproveite para nos acompanhar nas nossas redes sociais:

Um comentário:

  1. Obrigada pelo post Jé!! Você arrasa sempre! E amei nosso vídeo!

    ResponderExcluir

Coloque aqui sua dúvida, sugestão, opinião... obrigada por acessar o blog.

DESCOBRINDO AS CORES | GUIA DE CORES | EP 1

Olá pessoal!!! Hoje dou início a nossa primeira série de vídeos lá no canal!, o GUIA DE CORES!! Serão 5 vídeos, toda segunda-feira d...