Pular para o conteúdo principal

Claude Monet - o mais célebre entre os pintores impressionistas


Claude Monet, é o meu pintor preferido. Suas obras são inesquecíveis, me lembro quando eu estava na quarta série na escola e conheci suas obras, lembro de um livro que tinha contando sua história, e até hoje não consigo esquecer, os jardins da casa de Giverny são meus preferidos e sonho em um dia conhece-los. Por isso hoje na categoria: Perfil, vamos falar sobre esse pintor impressionante! 


Oscar-Claude Monet (Paris, 14 de novembro de 1840 — Giverny, 5 de dezembrode 1926) foi um pintor francês e o mais célebre entre os pintores impressionistas.
O termo impressionismo surgiu devido a um dos primeiros quadros de Monet,Impressão, nascer do sol", quando de uma crítica feita ao quadro pelo pintor e escritor Louis Leroy: "Impressão, nascer do Sol” – eu bem o sabia! Pensava eu, justamente, se estou impressionado é porque há lá uma impressão. E que liberdade, que suavidade de pincel! Um papel de parede é mais elaborado que esta cena marinha.. A expressão foi usada originalmente de forma pejorativa, mas Monet e seus colegas adotaram o título, sabendo da revolução que estavam iniciando na pintura.

Mulheres no jardim de 1866.
Claude Monet nasceu em Paris, em 14 de novembro de 1840 na 9º arrondissement.3Seu pai, Claude - Auguste, tinha uma mercearia modesta. Aos cinco anos, sua família mudou-se para Le Havre, na Normandia. Seu pai desejava que Claude continuasse no comércio da família, mas ele desejava pintar. Foi a sua tia Marie-Jeanne Lecadre que o apoiou a seguir a carreira artística, pois ela fora também pintora.
Em 1851, Monet entrou para a escola secundária de artes e acabou se tornando conhecido na cidade pelas caricaturas que fazia. Nas praias da Normandia, Monet conheceu, por volta de 1856, Eugène Boudin, um artista que trabalhava extensivamente com pintura ao ar livre nessas mesmas praias, e que lhe ensinou algumas técnicas ao ar livre.
Em 28 de janeiro de 1857, sua mãe morreu e, aos 16 anos, Monet abandonou a escola e foi morar com sua tia Marie-Jeanne Lecadre.
Em 1857, Monet foi para Paris estudar pintura, e foi aí que conheceu a sua primeira mulher, Camille. Monet retratou-a muitas vezes, em quadros onde ela aparecia mais do que uma vez na mesma pintura.
Em 1859 Monet mudou-se para Paris. Frequentava muito a academia suíça de Paris onde copiava os grandes pintores. Em 1861 foi obrigado a servir no Exército na Argélia. Sua tia Lecadre concordou em conseguir sua dispensa do serviço caso Monet se comprometesse a cursar arte na universidade. Deixou o exército, mas não lhe agradou o tradicionalismo da pintura acadêmica.
Decepcionado com o ensino da pintura acadêmica na Universidade, em 1862 ele foi estudar artes com Charles Gleyer em Paris, onde conheceu Camille Pissarro e Gustave Courbet. Juntos desenvolveram a técnica de pintar o efeito das luzes com rápidas pinceladas, o que mais tarde seria conhecido como impressionismo.
Em 1863, ajudado por seu amigo, Monet alugou um pequeno estúdio em Paris. No mesmo ano, Monet entraria para o Salão oficial de pintura de Paris: "Estuário do Sena" e "Ponte sobre Hève na Vazante".
No ano seguinte, Monet novamente expôs duas telas no salão de Paris: "Camille" ou "O vestido azul" e "A floresta em Fontainebleu". A tela "O vestido verde" recebeu grandes elogios por parte dos críticos e ganhou um prêmio no salão de Paris. Em "Camille", Monet retratou Camille Doncieux, que se tornaria sua futura mulher. No ano de 1867, Monet tentou inscrever a obra "Mulheres no Jardim" no Salão, que não a aceitou. A tela era tão grande que ele construiu uma vala para poder enterrar a parte inferior e atingir a parte superior da tela ao pintar. No mesmo ano, Monet e Camille teriam seu primeiro filho, Jean.
Casa de Monet em Argenteuil.
Em 1868, Monet entrou em dificuldades financeiras, teve um quadro inscrito no Salão de Paris, "Navio deixando o cais de Le Havre", que recebeu uma crítica negativa. Recebeu, no mesmo ano, medalha de prata na Exposição Marítima Internacional de Le Havre pela tela"O molhe de Le Havre".
Em 1870, Camille e Monet se casaram três anos após o nascimento do primeiro filho do casal. No mesmo ano, com o início da guerra franco-prussiana, Monet e sua família se refugiaram em Londres. De volta à França e com o pai já morto, refugiar-se em Le Havre não o atraía mais, por isso Monet mudou-se para Argenteuil, onde passou a receber seus amigos impressionistas (Édouard Manet, Pierre-Auguste Renoir, Alfred Sisley e outros). Na cidade, o rio Sena e as belas paisagens serviram de inspiração para numerosos quadros de Monet e seus amigos que puderam pintar ao ar livre.
Em 1872 Monet pintou Impressão, nascer do sol (Impression: Soleil Levant (atualmente no Museu Marmottan de Paris), uma paisagem do Havre, exibida na primeira exposição impressionista de 1874. O quadro deu origem ao nome usado para definir o movimento impressionista.
Em 1878, Monet mudou-se para Paris com a família devido a crise financeira. No mesmo ano, nasceria seu segundo filho, Michel. Em férias com o casal Hoschédé, Monet acabou apaixonando-se pela mulher do Sr. Hoschédé, Alice. Um ano depois, Camille Doncieux morreu de câncer aos trinta e dois anos de idade.
Em 1883, Monet mudou-se para Giverny, na Normandia. Monet trocava correspondência com Alice até a morte de seu marido em 1891. No ano seguinte ele e Alice Hoschédé casaram-se.
Na década após o seu casamento, Monet pintou uma série de imagens da Catedral de Rouen em vários horários e pontos de vista diferentes. Vinte pinturas da catedral foram exibidas na galeria Durand-Ruel em 1895. Ele também fez uma série de pinturas de pilhas de feno.
Em 1899, Monet pintou em Giverny a famosas série de quadros chamadas "Nenúfares". Em sua propriedade em Giverny, Monet tinha um lago e uma pequena ponte japonesa que inspirou a série de nenúfares. Estas obras quando foram expostas fizeram grande sucesso. Era o reconhecimento tardio de um gênio da pintura.
Monet ao pintar Nenúfares se baseou no lago e a ponte japonesa de sua própria casa, no outono, porque era nessa época do ano em que as flores caiam sobre o lago criando uma linda visão na qual Monet resolveu pintar. A técnica de Monet para pintar quadros era bastante peculiar para as pessoas e outros artistas que o viam pintando, mas a técnica de Monet desenvolvida na época foi considerada mais tarde como umas das mais belas do mundo, que é o impressionismo, que aparenta ser de perto apenas borrões mas ao distanciar a visão, o quadro se forma nitidamente.
Monet teve uma catarata no fim da sua vida. A doença o atacou por causa das muitas horas com seus olhos expostos ao sol, pois gostava de pintar ao ar livre em diferentes horários do dia e em várias épocas do ano, o que foi outra característica do Impressionismo. Durante sua doença Monet não parou de pintar, - usou nessa época de sua vida cores mais fortes como o vermelho-carne e vermelho goiaba, cor tijolo, entre outros verdes, rosas, vermelhos e cores mais fortes.
Em 1911, com o falecimento de Alice e seu problema de visão, Monet perdeu um pouco a vontade de viver e pintar. Sua vontade só seria animada com a amizade de Georges Clémenceau, que lhe escrevia cartas de apoio.
Monet morreu em 1926 e está enterrado no cemitério da igreja de Giverny, departamento de Eure, na Alta Normandia, norte de França.
Entre as muitas obras de Monet, podem destacar-se:

A pequena ponte japonesa e o lago, em quadro de Claude Monet - Minha preferida :)
Os lírios de água do lago, retratados incansavelmente por Monet.

Home and Garden of Claude Monet, Giverny, France.

Para quem esta na França, é uma ótima oportunidade para visitar Giverny - Fondation Monet.


Bisous, Helo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em alta: Subway Tiles (Azulejos de metrô)

Já faz algum tempo que os subway tiles vem reconquistando seu espaço. Seja em banheiros, cozinhas e até outros ambientes, eles contrapõem os coloridos ladrilhos hidráulicos, e se diversificam nas novas formas de paginação. Com um aspecto mais simples porém não menos charmoso, se torna urbano, romântico, divertido, diferente. Um revestimento que está sendo usado de diversas formas.  Sua origem podemos dizer que veio dos subsolos/metrôs, principalmente de Paris e londres, e invadiram as residencias e comércios.


Encontramos ele presente também em um estilo de decoração que também está muito em alta, a decoração escandinava (veja aqui), com variedades de tons são aplicados em diversos ambientes. Retangulares nos dão várias opções de paginação, horizontal, vertical, diagonal... Sem contar que a escolha da cor do rejunte também influenciará sua intenção no projeto. O tradicional é o rejunte escuro, criando um estilo retrô e relembrando sua aplicação nos metrôs. Mas é possível também inovar…

Mostra Casa Chapecó traz conceito Urban Style – Morar inteligente, onde o essencial é a tendência

O morar bem exige sofisticação e elegância junto à funcionalidade. A Mostra Casa Chapecó vem para inspirar e traz como conceito o Urban Style – Morar Inteligente, onde o essencial é a tendência. Em sua primeira edição, o evento de arquitetura, decoração e paisagismo apresenta o estilo prático e refinado de se morar, com a mescla entre o moderno e o antigo, pautados no conceito que tomará conta dos ambientes da Mostra.
            De acordo com o coordenador de execução de obras da mostra e sócio da Ahazô Marketing e Eventos, João Paulo Santos, o evento vai mostrar elegância e modernidade aliado a personalidade das ruas para a residência. “A casa também pode ser o escritório, pois permite abrigar espaços artísticos e intelectuais de maneira integrada, reconectando com o centro da cidade e trazendo o jardim para dentro, com móveis minimalistas, mas funcionais”. Ressalta ainda que na Mostra, antiguidades e artigos contemporâneos se intercalam e o antigo encontra o novo.
Além de trazer as …

CASACOR SC 2017, edição de Florianópolis, anuncia suas estrelas

A CASACOR SANTA CATARINA 2017 acontece de 10 de setembro a 22 de outubro, no casarão da Praça Getúlio Vargas, antigo Asylo de Órphãs São Vicente de Paulo da IDES (Irmandade do Divino Espírito Santo). Um imóvel centenário tombado pelo município, que já foi ocupado pelo IPUF, Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis. Ao todo serão 28 ambientes divididos em 3 pavimentos com espaços que vão desde 20m2 a 170m2.  Grandes nomes da arquitetura catarinense confirmaram presença neste grande evento.
Reconhecida e definida como a maior e mais completa mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas, a CASACORtraz este ano como tema, o “Design mais perto das pessoas”, com projetos, soluções e ideias dos melhores profissionais do segmento, que levarão ao consumidor a preocupação com o design e sua função, forma, experiência e sobrevivência no cenário atual.
Com o foco no essencial, os franqueados Luiz e Francis Bernardo receberam a missão de transformar o imóvel centená…