Enxoval Casa


Uma das primeiras coisas que temos que pensar ao montar nossa casa é o enxoval, roupa de cama, roupa de banho, e dai partimos para as demais coisas. Muitas pessoas tem muitas dúvidas na hora de escolher os kits, e acabam muitas vezes cometendo alguns errinhos (eu já cometi rsrs). Para isso resolvemos hoje falar um pouquinho sobre o enxoval, e te dar algumas dicas simples mas super importantes. Vamos lá?

Enxoval: é um conjunto de objetos de noivas, recém nascidos ou crianças que geralmente incluem roupas de cama, como lençóis, cobertores, edredons, colchas, toalhas, roupões de banho, etc.



Nada melhor do que além de tudo lindo, ser tudo limpo. Para isso, na minha opinião nada melhor do que o branco. Ele transmite leveza, limpeza, conforto, brilho, claridade, pureza, paz, simplicidade, ele é deslumbrante e dinâmico. O ponto de partida ideal para a decoração. Muitos dizem que o branco é a falta de cor, mas ele é uma cor com personalidade, a partir dele você tem uma grande variedade de escolhas o que faz dele ainda mais único e especial.
Por isso toda casa deve ter pelo menos uns dois kits tanto de cama como de banho nos tons de branco (ou todos). É o básico. 
Mas dai você deve estar pensando, mas e as cores, a alegria, eu gosto de tons fortes! Bom, você ter uma base branca não significa não poder usar cores, mas, sim é dessa forma que você dará destaque para elas.


No verão tudo branco já é o suficiente, mas se preferi utilize almofadas, rolinhos, mantas coloridas para trazer mais diversão. Já no inverno opte por cores bem fortes, como marrom, preto, bordô, marinho, verde musgo, vai trazer aconchego e conforto. 
Se mesmo assim quiser usar um kit com cores, listras ou desenhos, escolha pelo menos o lençol de baixo branco, e outra dica bem importante com elástico.


Algumas pessoas não gostam de usar branco por terem na mente que o branco suja mais, na verdade qualquer cor suja, o branco apenas mostra mais, o que para mim é mais uma vantagem em ter ele. Nem que você tenha que lavar todo dia, pelo menos sempre vai estar limpo, sem sujeiras que podem prejudicar a saúde. Na imagem acima, tem ótimas opções para quarto de criança, adolescente, jovem. Super alegre, mas com branco!


Para kits de banho o branco também é uma ótima opção, sem contar que você não precisa ficar separando as toalhas por cores na hora de lavar, o que torna bem mais prático. Invista em toalhas de rosto com detalhes neutro, deixando o ambiente super delicado e assim podendo decorar o banheiro sem sobrecarregá-lo. Deixe seu banheiro, suite, lavabo sempre limpo e organizado. Lembre-se,  um kit de banho é composto por 2 toalhas de banho, 2 toalhas de rosto e 1 toalha para o piso.

Para você que tem um quarto de hóspedes em casa, deixe sempre tudo limpo e abuse do branco com trabalhos manuais, bordados, rendas. Tanto nos kits de cama como nos de banho.

Essas dicas não o proíbem de ter um kit de cama, florido, listrado, escuro, é ótimo ter uma opção assim também para mudar um pouco. O que quero dizer aqui é que o branco é o básico, todos devem te-lo em casa, isso não elimina outras possibilidades. 
Talvez você não concorde comigo, eu não concordava com minha mãe quando ela falava para eu comprar tudo branco, mas hoje vejo o quanto ela tinha razão,  e agora a minha prioridade é o branco.

Dúvidas, sugestões, podem deixar nos comentários. Espero que tenham gostado.

Bisous, Helo. 

SACCARO LANÇA COLEÇÕES INSPIRADAS NO RIO DE JANEIRO

Lapa e Tijuca dão nomes às peças, que acabam de chegar às lojas em todo o Brasil

Coleção Tijuca
A Barra da Tijuca, com sua exuberante paisagem unida aos elementos urbanos da cidade, serviu de inspiração para a nova coleção da Saccaro. A coleção Tijuca une o natural com o urbano, mistura a madeira com o inox escovado. As mesas com seus tampos em madeira de Teca de demolição e em madeira suar possuem características próprias, ideais para compor diversos estilos de ambientes. Para complementar a coleção, o carrinho de bar é perfeito para área externa. Versátil e prático de montar e manusear, pode ser facilmente utilizado com diversas coleções da Saccaro.


Coleção Lapa
Reduto de cultura e de história, o bairro carioca da Lapa foi a fonte de inspiração para esta coleção de cadeiras e mesas. A mistura de matérias-primas e suas linhas com apelo orgânico tornam estes produtos ideais para uso outdoor e indoor. As peças são perfeitas para compor ambientes versáteis, sem deixar de lado o conforto e a praticidade.

Créditos: SACCARO saccaro.com.br 
               www.jacsonhartmann.com.br

Bisous, Helo.

NDVale tem novo presidente

O vice presidente Haiko Schroder assume o comando da associação.
Balneário Camboriú -  NDVale oficializa a posse de Haiko Schroder como novo presidente da associação. O empresário que já atuava como vice presidente assumiu o cargo até então ocupado por Sidney Rosa. Segundo Haiko a diretoria atual será mantida até o final da gestão, em dezembro deste ano. " Todos os diretores permanecem nas suas respectivas funções, o que muda é que não teremos um vice presidente. Vamos dar continuidade ao bom trabalho desenvolvido até então, mantendo o planejamento estratégico com os mesmos princípios e objetivos", afirma o presidente.  A ampliação do quadro de associados com novas lojas é o primeiro item, já em andamento. "O objetivo é ter no Núcleo lojas de todos os segmentos necessários para atender a demanda na execução de um projeto, do primeiro produto de uma obra até a peça de decoração.  A área de abrangência também será estendida para outras cidades do Vale do Itajaí. Para isso, estamos em busca de um executivo que irá gerir o NDVale. Ele irá atuar na prospecção, respeitando os critérios e as lojas existentes, e no relacionamento com os lojistas, reportando-se à diretoria", complementa Haiko.
Haiko Schroder assumiu o cargo de acordo com o estatuto do Núcleo de Decoração do Vale onde prevalece a hierarquia. " Ao final do mandato será realizada uma assembléia para compor a diretoria da próxima gestão 2015/2016. Até lá nossa equipe irá trabalhar no cronograma do NDVale já estabelecido e abrir novas oportunidades de parcerias, comunicação e negócios", comenta Haiko. O principal evento da associação neste primeiro semestre é a tradicional festa de premiação dos profissionais.  A parceria com a Univali (Universidade do Vale do Itajaí) será fortalecida com ações e eventos compartilhados focados na informação de mercado e, a revista Estilo ND irá passar por uma reformulação tanto no conteúdo como no conceito e formato. A viagem dos profissionais para St. Petersburg, na Rússia, está agendada para o início do segundo semestre.
A Diretoria
Diretora Administrativa/Financeira:
Solange Hadlich Sedrez
Diretora de Marketing:
Maria Cristina Iglesias
Diretora de Eventos:
Luana Flava
Diretora Adjunta:
Mariana Spengler

O Presidente
Haiko Schroder, 35 anos é natural de Curitiba (PR). O empresário está radicado em  Balneário Camboriú, onde é  sócio proprietário das lojas Natur Pisos e Brinna.
Créditos: 
Andrea Scussel
Assessoria Comunicação NDVale
(47) 9969 4060
assessoria@ndvale.com.br

Bisous, Helo.

Revestimentos: Ladrilho Hidráulico


Ladrilho hidráulico ou piso hidráulico (às vezes impropriamente chamado azulejo hidráulico), é um tipo de revestimento artesanal feito à base de cimento, usado em pisos e paredes, que teve seu apogeu entre o fim do século XIX e meados do século XX. Foi apresentado como alternativa ao mármore ou como uma "cerâmica" que não necessitava de cozimento. A partir dos anos 1960, o surgimento de outros materiais substituiu progressivamente os pisos hidráulicos por elementos menos elaborados e mais rentáveis. Os ladrilhos hidráulicos têm sua origem no final do último século no sul da Europa. Rapidamente se espalharam pelos países mediterrâneos e tornaram-se populares também na Inglaterra vitoriana e na Rússia por sua resistência e por suas qualidades decorativas. Até hoje continuam sendo produzidos um a um, e a maneira com que são feitos continua a mesma há mais de um século.
As primeiras referências datam de 1857 quando o piso hidráulico foi descrito como alternativa à pedra (ao mármore principalmente). O produto foi apresentado na Exposição Universal de 1867, em Paris, pela empresa e Garret, Rivet et Cie. como uma "cerâmica" que não precisava de cozimento pois era solidificada por meio de prensas. Produtores notáveis se desenvolveram na região de Barcelona, destacando-se M. C. Butsems, Orsola, Solà i Cia., Munner i Boada, La Catalana, Mosaics Martí (ainda em atividade) e Teòtim Fortuny; porém a mais importante e mais conhecida foi Escofet, Fortuny i Cia. S. en C., fundada em 1886 e que fabricou os mosaicos dos prédios modernistas barceloneses antes de se expandir por toda a Espanha e AméricasAs dimensões habituais das peças era de 20cm×20cm mas também havia as de 10cm×10cm, 15cm×15cm, 25cm×25cm e de 40cm×40cm. A coincidência dessa técnica com o movimento modernista favoreceu o surgimento de mosaicos artísticos, com desenhos complexos. Os fabricantes se cercavam de desenhistas e arquitetos da moda, como Alexandre de Riquer, Domènech i Montaner, Josep Puig i Cadafalch, Josep Pascó, Antoni Saurí i Sirés e Enric Sagnier.
Um colalaborador de Antoni Gaudí, Joan Beltran, desenhou um pavimento hidráulico para a Casa Batlló. O mosaico, porém, acabou sendo instalado na casa Milà e, posteriormente, serviu de revestimento ao conjunto do Passeig de Gràcia, em BarcelonaOs desenhos dos azulejos hidráulicos representavam formas geométricas, flores ou folhas. Os mais delicados utilizavam um motivo que se repetia e se propagava pelas peças. Geralmente, os decoradores compunham seus desenhos simulando um tapete que recobria a totalidade de uma sala, o que requeria que as peças de ladrilho se adaptassem perfeitamente às dimensões do piso, sem que fosse preciso cortá-las. Também era habitual que um motivo fosse gerado pela combinação dois, quatro ou seis ladrilhos diferentes, o que complicava consideravelmente a produção e a instalação.
Processo de fabricação

  1. Um molde de bronze é feito para cada desenho, separando cada cor, ainda sem o ladrilho.
  2. Esse molde é ajustado a um molde exterior de ferro que segue a forma da borda do ladrilho.
  3. Cada parte do molde de bronze é enchida com uma mistura líquida a base de pó de mármore branco e cimento branco, e cada parte colorida separada com tintura.
  4. O molde de bronze depois é retirado e o cimento colorido é coberto com o almofariz úmido.
  5. O ladrilho é comprimido então a uma prensa hidráulica.
  6. Depois que o ladrilho é liberada do molde, é verificado com cuidado.
  7. O ladrilho é então submergido na água por 24 horas.
  8. Finalmente, os ladrilhos são armazenados por 4 semanas em uma atmosfera úmida para terminar a cristalização do cimento, após o que estarão prontos para serem utilizados.
Mais:

  • Moda: o ladrilho hidráulico começou a ser inserido em projetos de decoração de interiores há alguns anos, e continua forte. Além de poder ser usado como revestimento de parede ou chão, ele pode ser aplicado nessas superfícies de formas muito criativas. Por exemplo, no piso ele pode formar um retângulo abaixo da mesa de jantar, como se fosse um tapete, ou no banheiro ele pode decorar uma faixa acima da pia. Mesmo em doses menores, o ar vintage vai prevalecer e chamar a atenção – vintage e ao mesmo tempo despojado, por isso combina com estilos que gostam de unir o retrô moderno com o aconchegante.

  • Composição variada: ao usar o ladrilho hidráulico é muito comum a utilização de ladrilhos com diferentes estampas, formando uma composição final única, que vai de acordo com o gosto do dono da casa. Claro, se quiser que todos os ladrilhos tenham o mesmo desenho, siga em frente. Contudo, se quiser variar e ter uma decoração única, a liberdade de composição é muito bem vinda. Além disso, há variedade também no tamanho do ladrilho, o que abre um leque maior de possibilidades no uso da peça.
  • Altamente resistente e durável: na sua fabricação, o ladrilho hidráulico passa por um processo de horas em cura na água, sem nenhuma fase de queima. Por isso ele se torna uma peça com grande resistência e longa durabilidade, sendo difícil de desgastar-se ou criar rachaduras. Isso também o torna mais aderente, evitando escorregões, e o mantem sempre mais frio, por não conduzir muito calor.
Fonte: Wikipedia.
Curta nossa página no facebook: H interiores.

Bisous, Helo.

Casa Cor SC 2014

Fachada Casa Cor SC 2013.
Às vésperas de dar início às obras dos ambientes de sua próxima edição, a Casa Cor Santa Catarina já conta com o time completo de profissionais que assinarão os projetos dos 44 ambientes que darão vida a edição catarinense da maior mostra de arquitetura e decoração das Américas.
Além de Florianópolis, que receberá a mostra no empreendimento Simphonia WOA Beiramar, a Praia Brava, de Itajaí, novamente abrigará ambientes do evento, desta vez no Mall do Riviera Business.
A Casa Cor Santa Catarina acontecerá de 01 de maio a 15 de junho, e um único ingresso dará direito a visitar as duas sedes da mostra, independente da data de compra.
Confira a listagem completa dos integrantes do elenco de profissionais da Casa Cor Santa Catarina 2014:
- Florianópolis
· Alcione Dal Prá
· Anderson Schussler
· Anna Maya
· Anelise Medeiros
· Beth Isidoro
· Beto Gebara
· Cintia de Queiroz
· Cristiane Passing
· Cristine Boing
· Dirlene Serrano
· Elisiane Dal Prá
· Estela Cislaghi
· Fernanda Carlin da Silva
· Francine Faraco
· Isabela Faraco
· Juliana Pippi
· Luiz Fernando Zanoni
· Maíra Queiroz
· Mariana Maran
· Marila Filártiga
· Mario Pinheiro
· Rafael Caramori
· Ricardo Fonseca
· Sidnei Machado
· Silvana Margarin
· Thais Zimmerman Zanoni
· Tufi Mousse
· Vanessa Faller
· Vera Theodorico
· Waleska Burlacenko
- Itajaí
· Adriana Piva
· Alexandre Voigt
· Aline Schlickmann Sandri
· Arianne Saut
· Carolina Hernandorena
· Carolina Lopes
· Claudio Schramm
· Daniela Vieira
· Eduardo Bugallo
· Elise Ribeiro Bueno
· Fabiane Folchini
· Fernanda Consonni
· Fernanda Eicke
· Hebert Evaristo
· Juliana Petrati
· Junior Granatti
· Karen Schauffert
· Kátia Veras
· Laura Giasse Morastoni
· Luiza Fortkamp
· Maurício Christen
· Moacir Schmitt Jr
· Patrícia Nascimento
· Priscila Borges
· Richard Gohr
· Salvio Moraes Jr
· Suâmi Pedrollo
· Vanessa Larré
· Vanessa Schmidt
· Viviane Borba
Serviço
Casa Cor Santa Catarina
Período: 01 de maio a 15 de junho.
Locais:
Florianópolis – Simphonia WOA Beiramar
Av. Beira-Mar Norte, 3.974
Praia Brava-Itajaí – Mall do Riviera Business
Rodovia Osvaldo Reis, 3.385
Fonte: Revista Sua Casa.
Bisous, Helo.

Claude Monet - o mais célebre entre os pintores impressionistas


Claude Monet, é o meu pintor preferido. Suas obras são inesquecíveis, me lembro quando eu estava na quarta série na escola e conheci suas obras, lembro de um livro que tinha contando sua história, e até hoje não consigo esquecer, os jardins da casa de Giverny são meus preferidos e sonho em um dia conhece-los. Por isso hoje na categoria: Perfil, vamos falar sobre esse pintor impressionante! 


Oscar-Claude Monet (Paris, 14 de novembro de 1840 — Giverny, 5 de dezembrode 1926) foi um pintor francês e o mais célebre entre os pintores impressionistas.
O termo impressionismo surgiu devido a um dos primeiros quadros de Monet,Impressão, nascer do sol", quando de uma crítica feita ao quadro pelo pintor e escritor Louis Leroy: "Impressão, nascer do Sol” – eu bem o sabia! Pensava eu, justamente, se estou impressionado é porque há lá uma impressão. E que liberdade, que suavidade de pincel! Um papel de parede é mais elaborado que esta cena marinha.. A expressão foi usada originalmente de forma pejorativa, mas Monet e seus colegas adotaram o título, sabendo da revolução que estavam iniciando na pintura.

Mulheres no jardim de 1866.
Claude Monet nasceu em Paris, em 14 de novembro de 1840 na 9º arrondissement.3Seu pai, Claude - Auguste, tinha uma mercearia modesta. Aos cinco anos, sua família mudou-se para Le Havre, na Normandia. Seu pai desejava que Claude continuasse no comércio da família, mas ele desejava pintar. Foi a sua tia Marie-Jeanne Lecadre que o apoiou a seguir a carreira artística, pois ela fora também pintora.
Em 1851, Monet entrou para a escola secundária de artes e acabou se tornando conhecido na cidade pelas caricaturas que fazia. Nas praias da Normandia, Monet conheceu, por volta de 1856, Eugène Boudin, um artista que trabalhava extensivamente com pintura ao ar livre nessas mesmas praias, e que lhe ensinou algumas técnicas ao ar livre.
Em 28 de janeiro de 1857, sua mãe morreu e, aos 16 anos, Monet abandonou a escola e foi morar com sua tia Marie-Jeanne Lecadre.
Em 1857, Monet foi para Paris estudar pintura, e foi aí que conheceu a sua primeira mulher, Camille. Monet retratou-a muitas vezes, em quadros onde ela aparecia mais do que uma vez na mesma pintura.
Em 1859 Monet mudou-se para Paris. Frequentava muito a academia suíça de Paris onde copiava os grandes pintores. Em 1861 foi obrigado a servir no Exército na Argélia. Sua tia Lecadre concordou em conseguir sua dispensa do serviço caso Monet se comprometesse a cursar arte na universidade. Deixou o exército, mas não lhe agradou o tradicionalismo da pintura acadêmica.
Decepcionado com o ensino da pintura acadêmica na Universidade, em 1862 ele foi estudar artes com Charles Gleyer em Paris, onde conheceu Camille Pissarro e Gustave Courbet. Juntos desenvolveram a técnica de pintar o efeito das luzes com rápidas pinceladas, o que mais tarde seria conhecido como impressionismo.
Em 1863, ajudado por seu amigo, Monet alugou um pequeno estúdio em Paris. No mesmo ano, Monet entraria para o Salão oficial de pintura de Paris: "Estuário do Sena" e "Ponte sobre Hève na Vazante".
No ano seguinte, Monet novamente expôs duas telas no salão de Paris: "Camille" ou "O vestido azul" e "A floresta em Fontainebleu". A tela "O vestido verde" recebeu grandes elogios por parte dos críticos e ganhou um prêmio no salão de Paris. Em "Camille", Monet retratou Camille Doncieux, que se tornaria sua futura mulher. No ano de 1867, Monet tentou inscrever a obra "Mulheres no Jardim" no Salão, que não a aceitou. A tela era tão grande que ele construiu uma vala para poder enterrar a parte inferior e atingir a parte superior da tela ao pintar. No mesmo ano, Monet e Camille teriam seu primeiro filho, Jean.
Casa de Monet em Argenteuil.
Em 1868, Monet entrou em dificuldades financeiras, teve um quadro inscrito no Salão de Paris, "Navio deixando o cais de Le Havre", que recebeu uma crítica negativa. Recebeu, no mesmo ano, medalha de prata na Exposição Marítima Internacional de Le Havre pela tela"O molhe de Le Havre".
Em 1870, Camille e Monet se casaram três anos após o nascimento do primeiro filho do casal. No mesmo ano, com o início da guerra franco-prussiana, Monet e sua família se refugiaram em Londres. De volta à França e com o pai já morto, refugiar-se em Le Havre não o atraía mais, por isso Monet mudou-se para Argenteuil, onde passou a receber seus amigos impressionistas (Édouard Manet, Pierre-Auguste Renoir, Alfred Sisley e outros). Na cidade, o rio Sena e as belas paisagens serviram de inspiração para numerosos quadros de Monet e seus amigos que puderam pintar ao ar livre.
Em 1872 Monet pintou Impressão, nascer do sol (Impression: Soleil Levant (atualmente no Museu Marmottan de Paris), uma paisagem do Havre, exibida na primeira exposição impressionista de 1874. O quadro deu origem ao nome usado para definir o movimento impressionista.
Em 1878, Monet mudou-se para Paris com a família devido a crise financeira. No mesmo ano, nasceria seu segundo filho, Michel. Em férias com o casal Hoschédé, Monet acabou apaixonando-se pela mulher do Sr. Hoschédé, Alice. Um ano depois, Camille Doncieux morreu de câncer aos trinta e dois anos de idade.
Em 1883, Monet mudou-se para Giverny, na Normandia. Monet trocava correspondência com Alice até a morte de seu marido em 1891. No ano seguinte ele e Alice Hoschédé casaram-se.
Na década após o seu casamento, Monet pintou uma série de imagens da Catedral de Rouen em vários horários e pontos de vista diferentes. Vinte pinturas da catedral foram exibidas na galeria Durand-Ruel em 1895. Ele também fez uma série de pinturas de pilhas de feno.
Em 1899, Monet pintou em Giverny a famosas série de quadros chamadas "Nenúfares". Em sua propriedade em Giverny, Monet tinha um lago e uma pequena ponte japonesa que inspirou a série de nenúfares. Estas obras quando foram expostas fizeram grande sucesso. Era o reconhecimento tardio de um gênio da pintura.
Monet ao pintar Nenúfares se baseou no lago e a ponte japonesa de sua própria casa, no outono, porque era nessa época do ano em que as flores caiam sobre o lago criando uma linda visão na qual Monet resolveu pintar. A técnica de Monet para pintar quadros era bastante peculiar para as pessoas e outros artistas que o viam pintando, mas a técnica de Monet desenvolvida na época foi considerada mais tarde como umas das mais belas do mundo, que é o impressionismo, que aparenta ser de perto apenas borrões mas ao distanciar a visão, o quadro se forma nitidamente.
Monet teve uma catarata no fim da sua vida. A doença o atacou por causa das muitas horas com seus olhos expostos ao sol, pois gostava de pintar ao ar livre em diferentes horários do dia e em várias épocas do ano, o que foi outra característica do Impressionismo. Durante sua doença Monet não parou de pintar, - usou nessa época de sua vida cores mais fortes como o vermelho-carne e vermelho goiaba, cor tijolo, entre outros verdes, rosas, vermelhos e cores mais fortes.
Em 1911, com o falecimento de Alice e seu problema de visão, Monet perdeu um pouco a vontade de viver e pintar. Sua vontade só seria animada com a amizade de Georges Clémenceau, que lhe escrevia cartas de apoio.
Monet morreu em 1926 e está enterrado no cemitério da igreja de Giverny, departamento de Eure, na Alta Normandia, norte de França.
Entre as muitas obras de Monet, podem destacar-se:

A pequena ponte japonesa e o lago, em quadro de Claude Monet - Minha preferida :)
Os lírios de água do lago, retratados incansavelmente por Monet.

Home and Garden of Claude Monet, Giverny, France.

Para quem esta na França, é uma ótima oportunidade para visitar Giverny - Fondation Monet.


Bisous, Helo.

DESCOBRINDO AS CORES | GUIA DE CORES | EP 1

Olá pessoal!!! Hoje dou início a nossa primeira série de vídeos lá no canal!, o GUIA DE CORES!! Serão 5 vídeos, toda segunda-feira d...